“A ação urgente contínua sendo imperativa. Neste Dia 08/11/2020 convido todos a unir forças

para enfrentar a crise global de segurança no trânsito.”
NÃO SÃO NÚMEROS, SÃO VIDAS.
EM MEMORIA ÁS VÍTIMAS DE TRANSITO
PARTICIPE
NESSE DIA MEMORÁVEL
ESSAS VIDAS DEVEM SER LEMBRADAS SEMPRE
MÃES,ESPOSAS FILHOS, AMIGOS…..
VIDAS QUE CONTINUAM
APENAS NA MEMÓRIA

       Fatos sobre a Segurança nas Estradas de acordo com a OMS

  1. Lesões provocadas no trânsito são um problema de saúde pública global.

Todos os anos cerca de 1,3 milhão de pessoas morrem no trânsito e 93% destas mortes ocorrem em países de baixa e média renda. Estes países têm apenas 54% dos veículos registrados no mundo.

  1. Usuários vulneráveis representam metade das mortes de trânsito no mundo

Pedestres, ciclistas e motoristas de motocicletas de duas ou três rodas e os passageiros destas são conhecidos como “usuários vulneráveis das ruas”. Metade das mortes de trânsito vem deste grupo e a proporção em países de baixa renda é muito maior do que naqueles de alta renda.

  1. O controle de velocidade reduz as lesões em acidente de trânsito

O aumento da velocidade no trânsito eleva as chances de acidentes  e a gravidade das consequências em caso de batidas. O acréscimo de 1Km/h na velocidade de um veículo aumenta em 3% as chances de uma pessoa se ferir num acidente e eleva entre 4% a 5% as chances de vítimas fatais.

  1. Dirigir sob o efeito de bebidas alcoólicas aumenta os riscos de batidas

Beber e dirigir aumenta o risco de acidentes de forma dramática. Somente 34 países, representando 29% da população mundial, têm leis relacionadas a ingestão de álcool ao dirigir que atendem os limites recomendados pela OMS.

O aumento da velocidade no trânsito eleva as chances de acidentes , by Trinn Suwannapha/Banco Mundial
  1. Usar um capacete de qualidade pode reduzir o risco de morte em acidentes de trânsito

O uso de bons capacetes pode diminuir em até 40% o risco de morte e de lesões severas em até 70% em casos de acidentes de trânsito. Somente 44 países, representando 17% da população, têm leis que atendem as práticas recomendadas em termos do uso de capacetes.

  1. O uso de cinto de segurança reduz o risco de morte entre os passageiros da frente e dos bancos traseiros 

Usar o cinto de segurança pode reduzir as vítimas fatais e lesões em passageiros dos bancos da frente de veículos entre 45% e 50% e nos bancos de trás entre 25 e 75%. No mundo, 105 países, representando 67% da população global, têm leis de uso de cintos de segurança em acordo com as melhores práticas.

  1. O uso de cadeiras indicadas para crianças reduz de forma considerável o risco de lesões graves

Colocar as crianças em cadeiras próprias reduz o risco de lesões graves em até 80% em comparação com aquelas usando apenas o cinto de segurança. Crianças em pequenas cadeiras também têm 77% de chances a menos de se ferir em batidas em comparação com aquelas sem proteção.

  1. Acesso rápido e efetivo aos serviços de emergência após acidentes de trânsito salva vidas e reduz a invalidez entre os feridos

Soluções chaves para o desenvolvimento de sistemas de serviços de emergência incluem a criação de números de acesso universal ligados a atendimentos de emergência, capacitação dos funcionários que trabalham neles e promoção de treinamento de primeiros socorros em locais onde sistemas formais são limitados.

  1. Veículos vendidos em 80% dos países no mundo não atingem os padrões básicos de segurança

A segurança dos veículos tem um importante papel na prevenção de acidentes e redução dos riscos de lesões graves em caso de choques.

  1.  Estradas com infraestruturas sem segurança aumentam o risco de choques

O projeto das estradas pode ter um impacto considerável na segurança delas. Estradas deveriam ser construídas com foco na segurança de todos os usuários.

Campanha do Detran ES retrata drama de pais de vítimas fatais de trânsito

22/11/2019 12h50

Por: Redação ES 24 HORAS

“O carro, se você usar de forma errada, é como se fosse uma arma e sempre os inocentes que morrem”. Declarações como essa fazem parte da nova campanha educativa do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran|ES), que traz histórias reais contadas por pais de jovens que perderam a vida no trânsito neste ano, no Espírito Santo. A campanha, em alusão ao Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito – lembrado no terceiro domingo de novembro -, já está no ar nas emissoras de televisão, de rádio e na Internet.

Os depoimentos fazem um chamado à sociedade para os riscos da mistura de bebida e direção, do excesso de velocidade – uma das infrações mais cometidas pelos capixabas –, de manobras indevidas, das variadas situações de imprudência no trânsito e também sobre a importância de a pessoa estar devidamente habilitada para conduzir um veículo.

O spot de rádio remete às 681 mortes nas vias capixabas entre janeiro e outubro deste ano, de acordo com os dados do Observatório de Segurança Pública do Espírito Santo.

Continua depois da publicidade

O Detran|ES optou, nesta produção, por uma linha de comunicação baseada em testemunhos de acidentes de trânsito ocorridos em 2019 no Estado com quatro vítimas fatais, que tiraram a vida de condutor, pedestre e caronas de motocicleta e carro. A campanha tem o objetivo de impactar os capixabas a partir da descrição de características das vítimas, de seus sonhos, da relação com os entes e do drama vivido pelos familiares, na ótica dos pais. O objetivo é mobilizar a todos para evitar com que suas histórias se repitam.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.