Contran aprova tema para as campanhas educativas de trânsito de 2021

“No trânsito, sua responsabilidade salva vidas” Na última reunião do ano, realizada na terça-feira (15), o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) aprovou o novo tema para as campanhas educativas de trânsito de 2021.

O mote “No trânsito, sua responsabilidade salva vidas” será utilizado para subsidiar todas as ações voltadas para a segurança viária organizadas pelos órgãos do Sistema Nacional de Trânsito (SNT).

A nova mensagem deverá ser veiculada, obrigatoriamente, nos meios de comunicação social em toda peça publicitária destinada à divulgação de produtos da indústria automobilística.

“O objetivo das nossas campanhas educativas é salvar o maior número de vidas no trânsito. Vamos começar o próximo ano com o tema que traz a responsabilidade como elemento principal, levando mais segurança e educação para todos os condutores do país. O Contran, mais uma vez, está empenhado em colaborar para que as ações possam evitar os acidentes. E, ainda, conscientizar a sociedade”, afirmou o presidente do Contran e diretor-Geral do Denatran, Frederico Carneiro.

Outras Deliberações

O Contran referendou também algumas minutas de resolução. A primeiras referentes ao Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito (Renaest) e o Certificado de Registro de Veículo eletrônico (CRVe). Este último está sendo incluído no programa de transformação digital do Ministério da Infraestrutura (MInfra).

Além disso, os conselheiros aprovaram a resolução sobre os procedimentos para a integração dos municípios ao SNT, por meio dos seus órgãos e entidades de trânsito. A medida visa facilitar o ingresso dos municípios por meio de convênio e consórcio.

O Contran também aprovou os requisitos de segurança para a circulação de veículos transportadores de contêineres. Isso contribuirá para o aumento da produtividade e redução dos custos do transporte de cargas com baixa densidade. Os contêineres permitidos serão de 53 pés, já utilizados em transporte rodoviário e ferroviário em outros países.

A informação é da Assessoria Especial de Comunicação do Ministério da Infraestrutura